quarta-feira, 2 de novembro de 2011

12ª Minijornada da Família

Convidamos a todos para participar da 12ª Mininorjada da Família, na sala Espiritismo Net Brasil



DATA: Domingo, 06 de novembro

HORÁRIO: à partir das 14:45 (horário de Brasília)

TEMA: Banalização dos valores morais e afetivos.

LOCAL: sala do paltalk Espiritismo Net Brasil



Caso você não tenha o paltalk instalado, siga os passos abaixo:



1. Acesse http://www.paltalk.com/ e baixe o programa gratuitamente;

2. Instale o programa no seu computador;

3. Crie login e senha para você e use-a para logar no programa;

4. Procure a sala Espiritismo Net Brasil através do campo de busca.

Participe também usando a versão on-line do Paltalk em http://express.paltalk.com/


Participe junto conosco desde momento de estudo e reflexão à luz da Doutrina Espírita!!!

Conheça o trabalho da Minijornada da Família visitando o site http://www.espiritismo.net/familia/

terça-feira, 5 de julho de 2011

Estudo Dirigido: O Livro dos Espíritos XXXIV

Estudo Dirigido: O Livro dos Espíritos


 

    Estude os itens 803 à 824. Analise as assertivas abaixo, comentando se são ou não são verdadeiras e o porque.


 

1 – Deus fez os Espíritos com aptidões diferentes para que um motivasse o outro em seu progresso.

2 – A desigualdade das condições sociais é obra do homem e não consta dos desígnios de Deus.

3 – A única desigualdade aprovada pela Lei Natural é a do mérito.

4 – A desigualdade das riquezas se fundamenta na desigualdade das faculdades.

5 – A igualdade absoluta das riquezas é utopia.

6 – Todas as pessoas poderiam gozar de um bem-estar relativo caso se entendessem bem.


 

(Fonte: apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec – IDE/JF-MG)

domingo, 3 de julho de 2011

MURAL REFLEXIVO: QUEBRA-CABEÇA

Quebra-cabeça


    Ganhei de um amigo, há dois meses, um quebra-cabeças de 1.500 peças.

    Eu não montava um quebra-cabeça desde que era criança.

    É engraçado como nós deixamos de fazer certas coisas quando crescemos: quebra-cabeças, colorir, brincar com bonecas, pular corda, pique de esconder...

    Coisas que nos trouxeram tanta alegria quando criança, nós paramos de fazer quando alcançamos uma certa idade - é uma vergonha, não é?

    Devo admitir, eu realmente aproveitei o quebra-cabeças.

    Embora muito frustrante às vezes, era um bom desafio.

    Cada vez que eu achava uma peça que se encaixava, era extremamente recompensador.

    Bom, e daí?

    Você já percebeu quantas semelhanças existem entre um quebra-cabeças e a vida?

    Num quebra-cabeças, cada peça é parte muito importante no grande quadro.

    Na vida, são as pessoas e os acontecimentos as partes importantes.

    Como peças de um quebra-cabeças, cada um de nós é único, especial em seu próprio jeito.

    Embora semelhantes, não há dois iguais.

    Ironicamente, são nossas diferenças que nos fazem "encaixar".

    Enquanto eu trabalhava no quebra-cabeças, havia uma peça que eu estava certa de pertencer à um ponto em particular.

    Mas não encaixava.

    Acabava voltando a ela tentando encaixa-la, me esquecendo que já havia tentado.

    Eu tinha meu pensamento focado no fato de que eu sentia que a peça era daquele espaço.

    Penso em quantas vezes eu fiz a mesma coisa em minha vida.

    Tentando fazer acontecer coisas que simplesmente não era pra ser.

    Tentava várias vezes, chegava ao ponto de forçar, mas não era pra ser... e nada do que eu fiz mudou isso.

    Se você já montou quebra-cabeças, sabe como é perder tempo procurando um pedaço específico. De repente parece tão obvio... mas eu não conseguia achar.

    Consegui foi embaralhar ainda mais as peças.

    Fiquei frustrada e decidi deixar pra lá e ficar longe dele.

    Quando voltei mais tarde, eu achei a peça imediatamente.

    Estava bem na minha frente desde o começo.

    Minha vida foi assim muitas vezes.

    Tentava entender por que certas coisas aconteciam e do jeito que aconteciam.

    Procurava as respostas por todos os lados e às vezes as respostas estavam bem na minha frente.

    Era só dar uma paradinha, um pequeno passo atrás, respirar e acalmar que as respostas me encontravam.

    Olhando as peças deste quebra-cabeças, eu penso nas "peças" de minha vida: minha família, meus amigos, acontecimentos, marcos e celebrações.

    Uma mistura de bom e ruim, alegria e lágrima, felicidade e tristeza.

    Penso em todas as peças que imaginei sem importância e sem propósito.

    Reflito em todos as peças que em minha vida me fizeram perguntar... "Por que, meu Deus?"... "Por que isto?"

    E repentinamente percebi que por causa dessas peças, outras peças se encaixaram tão bem.

    Tudo em nosso vida acontece por uma razão.

    Cada acontecimento, bom ou mau, como uma peça do quebra-cabeças.

    Deixe uma peça de fora e se quebra a harmonia inteira do produto final.

    Talvez ainda não possamos entender o papel importante de cada peça em nossa vida, ainda existem muitos buracos e o quadro ainda não está claro.

    Mas sei que quando minha viagem nesta vida estiver concluída, e a peça final estiver em seu lugar, eu entenderei.

    E serei capaz de ver o quadro completo e a beleza de cada peça.

    Até lá, eu continuarei a viver com fé.

    Sabendo e confiando que todas as peças que eu preciso estão aí e que é só uma questão de tempo até que se encaixem bem.

    Lembrarei de que há um grande quadro, um plano para mim, e que sou incapaz de ver agora.

    Acreditarei que cada peça em minha vida, mesmo as dolorosas, têm propósito e cumprem papel importante.

    E quando estiver fraca, procurarei força pela oração.

    Farei isto até que a obra-prima de Deus em mim estiver finalmente completa, e Ele então cochichará...

    "Muito bom!

    Está feito!".

 
 

(Tradução de Sergio Barros do texto de Amy Toohill - respeite o texto, seu autor e tradutor)

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Anotações: Relembrando 1 ...

Vamos iniciar a uma série de jogos, simplesinhos, mas que vão relembrando alguns conhecimentos...



Deixaremos algumas dicas, que, na realidade, nem acreditamos que seriam necessárias, e vocês completam o pensamento, tá legal?! :-)
Beijão

Dicas
Mt, 18: 20 - "Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ai estou eu no meio deles."
Jo, 14: 4 - "Na casa de meu Pai há muitas moradas."
LE, introdução, 6 - "Pontos principais do Espiritismo."
O Consolador (Emmanuel / F.C.Xavier), questão 372: "De pensamentos entrelaçados, a assembléia constitui a união de dois ou três."












fonte: AME-JF/MG

terça-feira, 28 de junho de 2011

Notícia: "Jovens de classe média adotam a preguiça como profissão".

CARLOS MINUANO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA


Andréa M., 22, formada em gastronomia, revela sua receita predileta: levar a vida em banho-maria. "Em plena quarta-feira, fui à praia com uma amiga. Se eu estivesse trabalhando, isso não seria possível", diz. Qualidades não faltam a Andréa. Além do talento na cozinha, fala espanhol fluente. Mas, no currículo, há somente quatro experiências que não somam mais do que seis meses de trabalho... (...)
Comentário:
Essa notícia nos leva a refletir a importância do trabalho de educação do espírito. Na pergunta 634 de “O Livro dos Espíritos”, codificado por Allan Kardec, encontramos que o Espírito aprende pela experiência, onde é citado o exemplo: “Se não houvesse montanhas, o homem não poderia compreender que se pode subir e descer...”. ... (...)


segunda-feira, 27 de junho de 2011

MURAL REFLEXIVO: Um dos mais belos trajes da Alma


UM DOS MAIS BELOS TRAJES DA ALMA


O médico conversa descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega, e de forma ríspida, pergunta: Vocês sabem onde está o médico do hospital?


Com tranquilidade, o médico responde: Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?


Impaciente, a mulher indaga: Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?


Mantendo-se calmo, contesta ele: Senhora, o médico sou eu. Em que posso ajudá-la?


Como?! O senhor?!?! Com esta roupa?


Ah, senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta...


Oh! Desculpe, doutor! Boa tarde! É que...vestido assim, o senhor nem parece um médico...


Veja bem as coisas como são... - diz o médico - ... As vestes parecem não dizer muitas coisas mesmo... Quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos, e depois daria um simpaticíssimo "Boa tarde!"


Como se vê, as roupas nem sempre dizem muito...


* * *


Um dos mais belos trajes da alma é, certamente, a educação.


Educação que, no exemplo em questão, significa cordialidade, polidez, trato adequado para com as pessoas.


São tantos ainda no mundo que não têm tato algum no tratamento para com os outros!


Sofrem e fazem os outros sofrerem com isso.


Parece que vivem sempre à beira de um ataque de nervos, centrados apenas em si, em suas necessidades urgentes e mais nada.


O mundo gira ao seu redor e para lhes servir. Os outros parecem viver num mundo à parte, menos importante que o seu.


Esses tais modos vêm da infância, claro, em primeiro lugar. Dos exemplos recebidos da família em anos e anos de convivência.


Mas também precisam vir da compreensão do ser humano, entendendo todos como seus irmãos.


Não há escolhidos na face da Terra. Não há aqueles que são mais ou menos importantes. Fomos nós, em nossa pequenez de Espíritos imperfeitos, que criamos essas hierarquias absurdas, onde se chega ao cúmulo de julgar alguém pelas roupas que veste.


Quem planta sorrisos e gentileza recebe alegria e gratidão, e vê muitas portas da vida se abrindo naturalmente, através da força estupenda da bondade.


O bem é muito mais forte que o mal.


O bem responde com muito mais rapidez e segurança às tantas e tantas questões que a existência nos apresenta, na forma de desafios.


Ser gentil, ser cordial é receber a vida e as pessoas de braços abertos, sem medo de agir no bem.


Ser bem educado é contribuir com a semeadura do amor na face da Terra, substituindo, gradualmente, tantas ervas daninhas que ainda existem nesses campos, por flores e mais flores de felicidade.


Ser fraterno, em todas as ocasiões, é vestir-se com este que é um dos mais belos trajes da alma: a educação.


(Redação do Momento Espírita, com base em conto de autoria desconhecida. http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=3036&stat=0)

domingo, 26 de junho de 2011

Notícia: "A turma da adrenalina".

Os esportes de aventura fascinam os jovens pela liberdade e pela emoção. E ensinam que é preciso respeitar os próprios limites e não descuidar da segurança.

Junte numa mesma atividade adrenalina, concentração, contato com a natureza e sensação de liberdade. Esses são os ingredientes que fazem dos esportes irados (é assim que são chamados) os preferidos por boa parte dos adolescentes. Para muitos, emoção é pedalar sem parar no meio do mato ou manobrar um barco de borracha corredeira abaixo. Para outros, programa irado é participar de corridas de aventura – uma gincana que mistura de tudo, de caminhada a rappel, atividade em que a pessoa desce paredões pendurada a uma corda. Nas grandes cidades, longe do mar e da natureza, há esportes que substituem o contato com o mato e os barrancos sem abrir mão do sabor de aventura. Um dos mais procurados é a escalada indoor, realizada em paredões artificiais. "É indescritível a sensação de ter chegado lá em cima, de ter conquistado algo", explica Mário Sérgio Duarte Garcia, de 14 anos, que há dois sobe por paredões com 11 metros de altura numa academia especializada em São Paulo.(...)

Comentário: 

No O Livro dos Espíritos, Kardec perguntou aos espíritos se há fatalidade quando certas pessoas parecem que não podem escapar à morte e eles assim responderam... (...)

sexta-feira, 24 de junho de 2011

ESTUDO DIRIGIDO: O Livro dos Espíritos XXXIII

Ainda quanto aos itens de 776 à 802, responda e justifique sua resposta:




1) O que se pode afirmar quanto às leis humanas?




2) Por que a marcha do Espiritismo será mais rápida que a do Cristianismo?




3)Por que o Espiritismo se tornará uma crença comum a todos os povos?




4) O Espiritismo contibui para o progresso na medida em que destroi o materialismo. Para que esse progresso se apresse, o que farão os Espíritos?




(Base: Apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec, IDE/JF-MG)

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Campanha Institucional do Espiritismo.Net






Doe um livro espírita e seja nosso colaborador!












O Espiritismo.net, atuando no ambiente virtual para divulgar a Doutrina Espírita, oferece estudos e presta serviços a espíritas e não espíritas há mais de 14 anos. Contando com um grupo de voluntários para se manter atuante, nossa equipe depende também de recursos para custear suas despesas, tanto das atividades já ativas, como dos projetos que estão em desenvolvimento para, num futuro próximo, transformarem-se em novas frentes de trabalho.


Os gastos são com provedores de serviços de Internet, locação de salas (sede física/estúdio de multimídia), aquisição e manutenção de equipamentos diversos, contratação de serviços, participação em eventos pelo Brasil para divulgar o trabalho (espaço para divulgação - stands), confecção de material promocional (folders, banners e impressos em geral), dentre outros.


Os recursos atuais são obtidos com doações de voluntários e com vendas de produtos (livros espíritas novos e usados, CD's com músicas reflexivas, artesanatos, camisetas e outros produtos) em feiras e congressos espíritas. Mas para que continuemos nesta tarefa cumprindo nosso compromisso com a divulgação do Espiritismo, promovemos esta campanha de arrecadação de livros e outros produtos espíritas (CD's e DVD's), novos ou usados, para que sejam revertidos em mais recursos. Todo o material recebido será revendido a preços promocionais nos diversos eventos que participamos, fazendo com que os ensinamentos doutrinários alcancem a todos os que os buscam, com valor bem acessível, ao mesmo tempo em que promoverão nossas ações.


"Um livro velho para quem não leu, é novo", diz o ditado popular. Assim, por serem muitos os produtos esquecidos nas gavetas e prateleiras de nossas casas após serem consumidos, e que podem continuar semeando a luz do conhecimento, convocamos a todos para participar de nossa campanha, que é permanente, ou seja, não tem prazo para terminar. Os novos que puderem ser adquiridos em promoções também poderão ser doados para este fim.


Se você deseja e pode colaborar, envie-nos sempre sua doação ao nosso endereço:



Espiritismo.net


Praça Saiqui, 40 / Sl 405 – Vila Valqueire


CEP 21330-320 – Rio de Janeiro – RJ



Toda contribuição será muito bem-vinda, e, desde já, agradecemos sua colaboração. Para mais informações, entre em contato conosco - www.espiritismo.net


quarta-feira, 22 de junho de 2011

Notícia: "Por que é difícil dizer não às drogas".

Quem usa drogas pela primeira vez não vê os amigos se acabando nas sarjetas e não acredita que vai ser um viciado.

As campanhas contra o uso de drogas e a exibição na televisão do efeito devastador que elas têm sobre a vida dos viciados deveriam ser suficientes para riscar esse mal da superfície do planeta. Não é o que acontece. Num desafio ao bom senso, um número enorme de adolescentes continua dizendo sim às drogas. Pesquisa recente mostrou que um em cada quatro estudantes do ensino fundamental e médio da rede pública brasileira já experimentou algum tipo de droga, além do cigarro e das bebidas alcoólicas. A idade do primeiro contato com esse tipo de substância caiu dos 14 para os 11 anos em uma década. Tais dados sinalizam um futuro bem ruim. Quanto mais cedo se experimenta uma droga, maiores são os riscos de se tornar viciado. As pesquisas também revelam que a maioria dos jovens sabe que as drogas podem se transformar num problema sério. Mas isso não basta para mantê-los longe de um baseado ou de um papelote de cocaína. (...)

Comentário:

Os malefícios e os perigos do consumo de drogas são fatos incontestáveis conhecidos por todos. Então, porque é que um número tão grande de jovens ainda se sente irresistivelmente atraído por elas?
A impulsividade é uma marca da juventude. É conhecida a apetência dos jovens pelo risco e pela aventura, o fascínio que têm por novas experiências, desvalorizando muitas vezes os perigos que criam para si próprios e para os outros. Mesmo diante de algumas situações periclitantes, os jovens se sentem invulneráveis, julgando que possuem um absoluto controlo emocional das situações. (...)

terça-feira, 21 de junho de 2011

MURAL REFLEXIVO: Constância










CONSTÂNCIA













A virtude da constância é imprescindível para o êxito de qualquer empreendimento.


O início de um projeto sempre é cercado de entusiasmo.



Seja em grupo ou isoladamente, a idéia nova empolga.



Pode ser uma dieta, um programa de estudos, novos hábitos de vida ou de trabalho.



No início, tudo parece fácil e proveitoso.



Mas gradualmente as dificuldades surgem e começam a impressionar.



Pouco a pouco, perde-se o entusiasmo do princípio.



Já não parece tão importante manter o padrão de comportamento eleito.



A meta almejada esfumaça-se no horizonte e a pessoa retorna ao estado anterior.



O homem é uma criatura de hábitos.



Os hábitos podem engrandecê-lo ou amesquinhá-lo, aproximá-lo do anjo ou do selvagem.


A noção das próprias possibilidades por vezes empolga um ser humano.


Animado pela idéia de ser melhor, ele traça metas de equilíbrio, paz e progresso.



Para essas metas serem atingidas é necessário constância.


É nas dificuldades que o caráter se refina e se fortalece.


Quem desiste ao primeiro empecilho jamais atinge objetivo algum.



Perante os embates do mundo, importa perseverar no padrão de comportamento considerado ideal.


Não é conveniente mudar de atitude apenas para acompanhar a maioria.


Os grandes atletas, pensadores e inventores não revelaram sua grandeza de forma repentina.



Sempre é necessário muito estudo, preparação e esforço para a conquista de uma meta.



A exímia bailarina impressiona pela beleza e graça com que executa sua arte.


Mas apenas ela sabe o que isso lhe custou em termos de disciplina, renúncia e dores.


Se você tem objetivos, há apenas um modo de atingi-los: trabalhando duramente e com constância.


Sem disciplina, você flutuará ao sabor dos acontecimentos. O que lhe parecer mais fácil você fará.


Seus desejos mais profundos não passarão de sonhos, sem qualquer substância.


A aspiração de hoje será abandonada amanhã.


A dieta iniciada será esquecida.


O projeto de trabalho ou de estudo seguirá o mesmo destino.



De fantasia em fantasia, de sonho em sonho, sua vida passará.



E você será uma contínua promessa não realizada.


Para que isso não aconteça, analise o seu proceder.


Se constatar leviandade ou instabilidade em seu agir, dedique-se a combater tais características.


Estabeleça metas e esforce-se em alcançá-las.


Se quer ser instruído, aprender uma língua, fazer um curso, estude com firmeza.


Se deseja adquirir uma virtude, pratique-a a todo instante.



Caso queira emagrecer ou cuidar de sua saúde, modifique seus hábitos, mas o faça com convicção.


Não se impressione com obstáculos, pois eles sempre existirão.


Não se permita titubear e voltar atrás.


Lembre-se do entusiasmo do início.


Mantenha-se firme, em respeito ao seu infinito potencial.


Visualize o prazer que a vitória proporcionará.


A dificuldade de hoje é a facilidade de amanhã.


Apenas a constância poderá conduzi-lo ao resultado almejado.
Pense nisso e persevere!



(Equipe de Redação do Momento Espírita. http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=1416&let=C&stat=0)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Notícia: "Japoneses buscam tecnologia para "ver pensamentos".

Pesquisadores japoneses conseguiram com sucesso processar e visualizar imagens simples diretamente do cérebro humano com a ajuda de um software, no que poderá ser o primeiro passo para se fazer um registro visual de sonhos. (...)

Comentário:

No O Livro dos Espíritos, na questão 403 os Espíritos disseram que: “Mas como o corpo é de matéria pesada e grosseira, dificilmente conserva as impressões recebidas pelo Espírito, mesmo porque o Espírito não as percebeu pelos órgãos do corpo”.  (...)

sexta-feira, 17 de junho de 2011

ESTUDO DIRIGIDO: O Livro dos Espíritos XXXII

Ainda estudando os itens de 776 à 802, continue respondendo às questões, abaixo, justificando suas respostas:



1) Muitos povos cairam na barbárie, após um período de apogeu. Segundo kardec isso ocorre por que?




2) Que tipo de povos, no futuro, serão o farol para a humanidade?




3) Informam os Benfeitores que jamais todos os povos estarão reunidos em uma só nação. Por que?




4) O que seria uma civilização completa?




5) Como pode ser considerado o momento em que vivemos?




(Base: Apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec, IDE/JF-MG)

terça-feira, 14 de junho de 2011

Espiritirinha : Respeito aos nossos idosos


(recebemos do ZéCarlos sem menção de autoria ou fonte. Se vc souber qual é, deixa aí nos comentários, tá legal?! :) A gente agradece :) beeeeijosss)




domingo, 12 de junho de 2011

MURAL REFLEXIVO: Alguém para Compartilhar



ALGUÉM PARA COMPARTILHAR









Um amigo nos contou algo impressionante.



Desde muito jovem e antes mesmo de se graduar em física, ele desenvolvia pesquisas em iniciação científica e se interessava por questões ligadas aos fundamentos da física, e à lógica matemática.



Continuou seus estudos em Lógica e Filosofia da Ciência no programa de pós-graduação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Estadual de Campinas, entrando no campo da Teoria da Prova.



Seu projeto era provar uma proposição de Dag Prawitz, da "Escola Escandinava de Teoria da Prova", denominado "Teorema de normalização simples para a Lógica Clássica de primeira ordem completa".



Em sua tese de doutorado, "Provas de normalização para a Lógica Clássica", defendida na mesma Instituição em 1990, assumiu o problema proposto por Per Martin Löf, que consiste em definir um conceito de "pior seqüência de redução" para as derivações.



Com este trabalho, que lhe valeu o prêmio Santista Juventude conseguiu provar que, se a pior seqüência de redução termina, então todas as seqüências terminam em uma única forma normal.



Você deve estar se questionando: "o que vem a ser tudo isso? Não entendi absolutamente nada!" Mas foi justamente isso que nos impressionou na história desse amigo.



Ele era profundo estudioso e conhecedor da teoria da prova, uma área específica da lógica matemática, mas resolveu deixar tudo isso de lado.



E sabe por quê?



Bem, porque ele sentia muita dificuldade em dividir seus conhecimentos com alguém, pois poucas pessoas conheciam essa área.



"Então", contava-nos ele, "deixei de lado essa matéria porque conhecia somente umas cinco pessoas com quem podia falar sobre o assunto, e algumas delas viviam fora do Brasil. Eu sinto necessidade de compartilhar minhas idéias", concluiu o filósofo.



O ser humano tem necessidade de dividir seus sentimentos com alguém.



Por mais feliz que ele seja, se não houver ninguém para compartilhar, a felicidade não faz sentido.



De que vale uma grande conquista, sem alguém que nos abrace e nos diga: "parabéns, você venceu!"?



De que adianta sentir uma grande alegria se não tiver ninguém para saber disso?



Não faz sentido sorrir, se não houver alguém para rir conosco.



Quando vemos um filme e algo nos chama a atenção, logo queremos falar sobre isso, contar para alguém, mesmo que esse alguém seja um desconhecido.



Enfim, a felicidade e a infelicidade são estados d'alma para serem compartilhados.



Sem alguém para dividir conosco as nossas alegrias e tristezas, a vida fica sem sentido.



Foi por essa razão que o jovem matemático resolveu deixar de lado aquela área da lógica e tratar de assuntos que pudesse compartilhar, trocar idéias, discutir.



É verdade que existem áreas do conhecimento humano com as quais raros missionários assumem o compromisso de estudar e descobrir meios de torná-los úteis à humanidade.



Mas mesmo esses ilustres missionários não deixam de sentir, vez ou outra, a necessidade de compartilhar suas descobertas com alguém.



Na falta de quem os ouça, é bem possível que a depressão lhes faça companhia. Ainda assim se decidem pelo isolamento, por amor à causa que assumiram perante suas próprias consciências e pelo bem de seus semelhantes.



Pense nisso!



Sem alguém para compartilhar, não haveria abraços, nem apertos de mãos, nem troca de idéias...



Não haveria como dividir os medos, os anseios, os sonhos, as alegrias...



As pessoas que vivem isoladas, entram em profundas depressões, perdem a vitalidade e a vontade de viver...



Pense nisso e, se tiver com quem, compartilhe suas experiências. Descubra a arte de compartilhar e perceberá que a vida lhe mostrará um colorido todo especial.



(Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em conversa com Cosme Massi e em matéria a seu respeito, publicada no site: www.fundacaobunge.org.br/fundacaobungepagina_03.htm . http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=1109&stat=3&palavras=ALGUÉMPARACOMPARTILHAR&tipo=t )




sexta-feira, 10 de junho de 2011

ESTUDO DIRIGIDO: O Livro dos Espíritos XXXI

Estude os itens de 776 à 802 e responda às assertivas abaixo, justificando sua resposta:




1) O que se pode falar sobre "Estado Natural"?




2) Por que o progresso moral segue ao intelectual?




3) Quais as causas dos abalos físicos e morais? São eles inevitáveis?




4) Faça uma comparação entre a humanidade de hoje com a existente dos povos da antiguidade e explique se houve, ou não, progressos de ordem moral e intelectual.




5) Qual é o maior obstáculo ao progresso?




(Base: Apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec, IDE/JF-MG)

domingo, 5 de junho de 2011

MURAL REFLEXIVO: Disciplina do Pensamento







DISCIPLINA DO PENSAMENTO











Você consegue imaginar quantos pensamentos temos por dia?


Estudiosos informam que temos entre sessenta a noventa e cinco mil pensamentos em vinte e quatro horas.


É uma quantidade realmente muito grande...


Isso significa, por exemplo, que durante esta mensagem poderemos chegar a ter entre duzentos a trezentos e trinta pensamentos!


Trazemos então uma primeira reflexão: Quantos desses tantos pensamentos diários são bons, úteis? Quantos são maus, inúteis?


Infelizmente a maioria deles ainda não pode ser classificada como pensamentos saudáveis e construtivos, porém, existem formas de se disciplinar o pensar, pois bem pensar é a elevada forma de se viver.


Aqui vão alguns ensinamentos importantes a respeito da disciplina do pensamento.



Se meditarmos em assuntos elevados, na sabedoria, no dever, no sacrifício, nosso ser impregna-se, pouco a pouco, das qualidades de nosso pensamento.
É por isso que a prece improvisada, ardente, o impulso da alma para as potências infinitas, tem tanta virtude.



É preciso aprender a fiscalizar os pensamentos, a discipliná-los, a imprimir-lhes uma direção determinada, um fim nobre e digno.



Cada tipo de pensamento tem que ter a sua hora, o seu lugar. Não devemos estar em casa, com a família, e com os pensamentos em outro lugar, como, por exemplo, no ambiente de trabalho.



Cada vez que surja um mau pensamento, essa fiscalização fará com que um alerta se acenda em nós, e tomemos alguma atitude para expulsá-lo o mais rápido possível.



É bom também viver em contato, pelo pensamento, com escritores de gênio, com os autores verdadeiramente grandes de todos os tempos e países, lendo, meditando sobre suas obras, impregnando o nosso ser da substância de suas almas.



É necessário escolhermos com cuidado nossas leituras, depois amadurecê-las e assimilar-lhes a quintessência. Em geral lê-se demais, lê-se depressa e não se medita.



O estudo silencioso e recolhido é sempre fecundo para o desenvolvimento do pensamento. É no silêncio que se elaboram as obras fortes.
Há também a prática de meditar. Na meditação o Espírito se concentra, volta-se para o lado grave e solene das coisas. A luz do mundo espiritual banha-o com suas ondas.



Evitemos as discussões ruidosas, as palavras vãs, as leituras frívolas.



Sejamos sóbrios de jornais, TV e Internet. O contato com essas mídias, fazendo-nos passar continuamente de um assunto para outro, torna o Espírito ainda mais instável.



A alma oculta profundezas onde o pensamento raras vezes desce, porque mil objetos externos ocupam-no incessantemente.



Disciplinar os pensamentos significa disciplinar a vida, e escolher caminhos mais seguros.



Na nascente de todos os atos, palavras e ideias estão os pensamentos. Mudemos a matriz e teremos uma vida renovada e mais feliz.



Lembremo-nos: bem pensar é a elevada forma de viver!




(Redação do Momento Espírita com base no cap. XXIV, do livro O problema do ser, do destino e da dor, de Léon Denis, ed. Feb. http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=3012&stat=0 . Recebemos o texto de A Era do Espírito)

sábado, 4 de junho de 2011

Notícia: "Adolescente planeja o próprio funeral após câncer raro."


Uma adolescente britânica está planejando seu próprio funeral e o que ela quer fazer nos últimos meses de vida, após descobrir que não há mais tratamento para seu câncer nos ossos. Donna Shaw, de 17 anos, foi diagnosticada em fevereiro de 2010 com Sarcoma de Ewing, uma forma rara de tumor ósseo maligno que atinge principalmente crianças e adolescentes. (...)

Comentário
Imaginamos a dor que Nikki Parker esteja passando por tantas dificuldades em relação à doença da filha, mas devemos lembrar que Deus, que é Amor, Justiça e Misericórdia, jamais depositaria nos ombros dos Seus filhos fardos maiores do que poderiam suportar.  Por mais duras e árduas sejam as dificuldades dessa família, elas sempre tem condição de lutar e vencer, cabendo a cada uma delas esforçar-se ao máximo para tanto. Em momento algum Nikki e Donna Shaw se encontram sós ou abandonadas e a misericórdia Divina sempre provê aquilo de que necessitam. (...)

ESPIRITIRINHAS






Fonte: Espitirinhas.blogspot.com

sexta-feira, 3 de junho de 2011

ESTUDO DIRIGIDO: O Livro dos Espíritos XXX

Leia e estude os itens 766 a 775 e responda, com sua justificativa, as seguintes questões:


1)O isolamento pode trazer algum inconveniente ao homem? Qual e por que?


2) Por que Kardec colocou a vida em sociedade como Lei Natural?


3) Segundo Kardec, qual a melhor expiação?


4) Podemos considerar os laços de família entre os homens como costume social ou Lei Natural? Por que?


(Base: Apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec, IDE/JF-MG)

domingo, 29 de maio de 2011

MURAL REFLEXIVO: Jóias que Brilham






JOIAS QUE BRILHAM







Embora haja um grande esforço para se acabar com toda sorte de preconceito, ele não foi de todo escorraçado do mundo.

Basta que se observe, em qualquer lugar, como as pessoas bem vestidas e de porte altivo são tratadas, em detrimento daquelas mais modestas, de roupas mais simples.

Se andamos pela rua e alguém bem apessoado se aproxima, jamais cogitamos que ele possa ser um ladrão.

Mas, se alguém que calce chinelos, use roupas não bem passadas e o cabelo em desalinho se aproxima, ficamos receosos.

A reação é instintiva. Ficamos de sobreaviso. Colocamos a mão na bolsa ou na carteira, como querendo protegê-la.

Tudo isso ocorre porque estamos acostumados a avaliar as pessoas pela aparência.

Em épocas recuadas, no tempo em que no Oriente eram abundantes os sultões, princesas e escravos, vivia uma rainha muito rica.

Ela gostava de passear pelas ruas da cidade, todas as tardes, com sua escrava. Percorria os pontos mais movimentados de Bagdá chamando a atenção com o vistoso colar que usava sempre.

Era uma joia rara e preciosa de nada menos de duzentas e cincoenta e seis enormes e perfeitas pérolas.

Interessante é que, ao seu lado, a escrava usava um enfeite idêntico ao da soberana.

Todos admiravam as joias da rainha e diziam:

É claro que o colar da escrava é falso. Quem não percebe logo? A rainha assim procede para dar maior realce ao seu colar. Observem como as gemas verdadeiras têm mais brilho. Parecem ter luz própria, ter vida!

E tornavam a olhar, a admirar e invejar as joias da rainha.

Os comentários eram tantos que o Vizir começou a se preocupar. Salteador ousado poderia se aventurar, em algum momento, e roubar a valiosa prenda.

Por isso, compareceu frente à sua soberana e falou:

Majestade, perdoai se ouso vir vos falar. Preocupa-me a vossa segurança e da joia. É um perigo sair à rua com tão grande riqueza. Sua vida corre riscos.

A rainha sorriu e o sossegou, explicando:

Não se preocupe, bom homem. Toda vez que saio, troco o colar com o da minha escrava. Ela leva em seu pescoço o verdadeiro e eu, o falso. Estranhamente, é sempre o meu que é admirado. Acredite, se eu saísse com simples vidrilhos, pedras falsas, todos continuariam a admirar o meu adorno. Isto somente porque eu sou a rainha.

* * *

As aparências enganam e devemos nos habituar a valorizar as pessoas por sua condição interior.

Afinal, temos valor por nós mesmos, pelo nosso proceder e não pelas posses materiais.

Na balança Divina, são iguais todos os homens. Só as virtudes os distinguem aos olhos de Deus.

São da mesma essência todos os Espíritos e formados de igual massa todos os corpos.

Os verdadeiros títulos de nobreza são as virtudes. Tudo o mais em nada contribui para a verdadeira felicidade.

(Redação do Momento Espírita, com base em lenda de autoria ignorada. http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=2924&stat=0)

sexta-feira, 27 de maio de 2011

ESTUDO DIRIGIDO: O Livro dos Espíritos XXIX

Ainda acerca do estudo feito nas questões 728 a 765, responda a justifique sua resposta:




1) O Espiritismo admite a legítima defesa em casos de homicídio?




2) O que pensar do duelo? E analisá-lo à luz da atualidade sob a óptica espírita.




3) Como o Espiritismo se posiciona ante a pena de morte?




4) Como devemos entender a "Pena de Talião"?




(Base: Apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec, IDE/JF-MG)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

MURAL REFLEXIVO: É Preciso Esforço




É PRECISO ESFORÇO






Certo dia, um homem caminhava por uma estrada deserta e começou a sentir fome. Não estava prevenido, pois não sabia que a distância que ia percorrer era longa.





Começou a prestar atenção na vegetação ao longo do caminho, na tentativa de encontrar alguma coisa para acalmar o estômago.



De repente notou que havia frutos maduros e suculentos em uma árvore. Aproximou-se mas logo desanimou, pois a árvore era muito alta e os frutos inacessíveis.

Continuou andando e foi vencido pela fome e o cansaço. Sentou-se na beira do caminho e ficou ali lamentando a sorte.


Não demorou muito e ele avistou outro viajante que vinha pelo mesmo caminho. Quando o viajante se aproximou o homem notou que ele estava comendo os frutos saborosos que não pudera alcançar e lhe perguntou:




- Amigo, belo fruto você encontrou.





- É, respondeu o viajante. Eu o encontrei no caminho, a natureza é pródiga em frutos suculentos.





- Mas você tem a pele machucada, observou o homem.





- Ah, mas isso não é nada! São apenas alguns arranhões que ficaram pelo esforço que fiz ao subir na árvore para colher os frutos.





E o homem, agora com mais fome ainda, ficou sentado resmungando, de estômago vazio, enquanto o outro viajante seguiu em frente.




***
Algumas vezes, fatos como esse também ocorrem conosco.





Ficamos sentados lamentando o sofrimento mas não abrimos mão da acomodação para sair em busca da solução.





Esquecemos que é preciso fazer esforços, lutar, persistir.





É muito comum ouvir pessoas gritando por um "lugar ao sol", mas as que verdadeiramente querem um lugar ao sol, trazem algumas queimaduras, fruto da luta pelo ideal que almejam.





Outras, mais acomodadas, dizem que Deus alimenta até mesmo os pássaros. Por que não haveria de providenciar o de que necessitam?





Essas estão certas, em parte, pois se é verdade que Deus dá alimento aos pássaros, também é certo que ele não o joga dentro do ninho.





O trabalho de busca pelo alimento é por conta de cada pássaro, e muitas vezes isso não é fácil. Há situações em que eles se arriscam e até saem com alguns arranhões.





Por essa razão, lembre-se sempre de que Deus a todos ampara, mas a caminhada, os passos, a busca, é por conta de cada um.





Por vezes a escalada é árdua, exaustiva, solitária. Mas é preciso fazer esforços para alcançar o fruto desejado, principalmente em se tratando dos frutos que saciam a sede da alma.





Jesus ensinou: batei, e a porta se abrirá. Mas os passos até chegar à porta e o esforço por bater, são necessários.





Buscai e achareis. Outra recomendação na qual está contida a ação necessária. Buscar é movimento, é esforço, é ação. Seria diferente se Jesus tivesse dito: espere passivamente que a porta se abrirá, ou, fique aí parado que o que deseja chegará até você.





No entanto, é preciso saber o que se busca e por qual porta desejamos entrar.





Ainda aí nossa escolha é totalmente livre. Nossa vontade é que nos conduzirá aonde queremos chegar.




Sendo assim, façamos a nossa escolha e optemos por chegar lá, e chegar bem.




***
Deus dá asas a todos os pássaros, mas enquanto as andorinhas voam em busca dos climas primaveris e os colibris descobrem novas flores, os abutres farejam a morte para alimentar-se com os restos dos animais vencidos.



(Equipe de Redação do Momento Espírita. http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=1315&let=E&stat=0)



domingo, 22 de maio de 2011

ESTUDO DIRIGIDO: O Livro dos Espíritos XVIII

Estude os itens 728 a 765 e, justificando, responda às seguintes assertivas:


1) Quais os objetivos da destruição necessária?


2) Em que condições tem o homem direito de destruição sobre os animais?


3) Quais as finalidades dos flagelos destruidores?


4) Quais as causas das guerras?


5)Afirmam os Espíritos que, no atual momento, as guerras são ainda necessárias. Por que?


(Fonte: Apostila de estudos das obras codificadas por Allan Kardec, IDE/JF-MG)

sábado, 7 de maio de 2011

Trocanto idéias 11 - O jovem espírita e o mercado de trabalho

Continuando a idéia do a palavra é sua, para intercambiarmos conhecimento e entendimento, seguindo a linha do "Projeto Trocando Idéias", da FERGS, só que aqui na net, colocamos nosso décimo primeiro tema para trocarmos idéia, ok?! :)

Fica, então, aqui, o espaço para que a juventude comente o tema. E aguardamos vocês aumentarem essa lista, combinado?!

Vocês podem participar clicando aí embaixo em comentários, e deixando sua participação.

O tema desta semana será:

O jovem espírita e o mercado de trabalho

Em o Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, podemos encontrar as perguntas 647 a 685 falando sobre a Lei do trabalho.

Além do desenvolvimento interectual de todos nós, no trabalho encontramos uma oportunidade de desenvolver as virtudes morais.

O jovem passa por muitos conflitos no momento de escolher a Universidade que cursará e a profissão, pois entram na conta a afinidade com a profissão escolhida e anecessidade de ser independente financeiramente.

Como trabalhar essas questões dentro de nós, neste momento em que a competitividade e a agressividade nos negócio está aumentando com novas formas de abordar o consumidor, novos produtos e idéias, novas tecnologias?

Como manter a postuta ética e cristã nesse mundo de tantas transformações?

Gostaria de saber a sua opinião, toque na opção COMENTÁRIOS e deixe a sua opinião.

Espero vocês!!!

terça-feira, 19 de abril de 2011

Notícia: "Eles querem ajudar - Ativistas urbanos."

Longe da política tradicional, jovens lutam por novas causas e encontram formas alternativas de mobilização.  Verônica Mambrini

VÁRIAS REFERÊNCIAS As bebês Stellaluna (atrás) e Violeta Luz nasceram em casa e são criadas pela comunidade que vive na Morada da Floresta

Eles são engajados, mas não querem saber de partidos políticos. Envolvem-se em causas humanitárias, sociais e ecológicas, mas acham que as organizações não governamentais (ONGs) estão fora da realidade. Rejeitam líderes e, para se organizar, usam a internet, numa rede que os liga a grupos semelhantes na mesma cidade, ou outros países. Os novos ativistas atuam à margem da estrutura política tradicional e fazem de suas convicções uma forma de viver. Na Morada da Floresta, residência comunitária em São Paulo, isso é bem evidente. Lá, vivem duas famílias e um amigo que dão cursos, palestras e vendem produtos ligados ao ecofeminismo. (...)


Comentário:
Quando ativistas defendem propostas que estimulam o retorno às origens estão tentando deter a marcha do progresso. Na questão 776 do O Livro dos Espíritos afirmaram que o estado natural é o estado primitivo e a civilização é incompatível a esse estado. (..) 

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Tocando em frente

O valor da experiência pessoal, de saber perseverar, levantar a cabeça diante das dificuldades, são temas abordados nessa linda música de Almir Sater.

Ouça e se inspire com Tocando em frente. A vida é bela, Deus nunca nos desampara, e cabe a cada um de nós avançar e vencer as dificuldades, conquistando experiência de vida.




sábado, 2 de abril de 2011

Notícia: "Baladas levam meninas ao fumo."

ISIS BRUM
LAÍS CATASSINI

A estudante Veridiana Lima tinha 13 anos quando experimentou seu primeiro cigarro, durante uma balada com amigas. “Desde então, nunca mais parei”, diz ela, seis anos depois. Nesses ambientes noturnos, o risco de uma menina paulistana começar a fumar aumenta 14 vezes. Já os meninos da cidade ficam oito vezes mais suscetíveis nessa mesma situação. (...).

Comentário:

O uso de drogas é um problema em todo o mundo. Atingem jovens e adultos desestabilizando famílias e a sociedade.

O termo droga é popularmente limitado às drogas ilícitas, mas não podemos esquecer de que o álcool e o cigarro, apesar de vendidos livremente, na maior parte dos países, causam vício de difícil reversão. (...)


terça-feira, 29 de março de 2011

Notícia: "Jovens americanos estão fazendo menos sexo que na última década."

DA EFE

Quase 30% dos americanos de idades entre 15 e 24 anos nunca fizeram sexo, constata um estudo publicado na (3) quinta-feira pelo Centro Nacional de Estatísticas de Saúde (NCHS) dos Estados Unidos, que indica um aumento dessa proporção nos últimos anos. (...).

Comentário

O que se vê hoje em dia é uma certa banalização do prazer sexual, a relação tem sido vista apenas ou essencialmente pela busca do prazer, muitas vezes levando o indivíduo a uma prática mais de libertinagem do que de liberdade. A doutrina espírita não condena nenhuma prática porque compreende que cada um é responsável pelos seus atos. (...).


sábado, 19 de março de 2011

Notícia: "É possível reduzir a violência e aumentar a segurança."

Apontado por muitos como o maior problema social que enfrentamos hoje, a violência assusta e inibe as pessoas na convivência social. Alguns resolvem seu problema contratando seguranças particulares, câmeras de vídeo, portões eletrônicos... (...).

Fonte: http://www.pucrs.br/mj/entrevista-02-2009.php

Comentário:

Kardec no O Livro dos Espíritos perguntou se o homem não estava recuando moralmente já que a sua perversidade era muito intensa e os espíritos responderam:

“- Enganas-te. Observa bem o conjunto e verás que ele avança, pois vai compreendendo melhor o que é o mal, e dia a dia corrige os seus abusos. É preciso que haja excesso do mal, para fazer-lhe compreender a necessidade do bem e das reformas”.


sexta-feira, 18 de março de 2011

Mural reflexivo: Pazear



    Você conhece o verbo pazear?

    Você sabia que existe esse verbo?

    Segundo os dicionários, pazear significa estabelecer paz ou harmonia.

    A conjugação desse verbo, no presente do indicativo, é a seguinte: eu pazeio, tu pazeias, ele pazeia, nós pazeamos, vós pazeais, eles pazeiam.

    No entanto, muitos de nós nunca conjugamos esse verbo em nossa fase escolar, e assim também não o fizeram nossos avós.

    E se não forem tomadas as providências cabíveis, as gerações futuras também não o farão.

    Desde há muitos séculos a nossa cultura tem sido uma cultura de guerra.

    Quais são os heróis que conhecemos na escola?

    Sim, são os grandes generais, os valentes marechais, os corajosos revolucionários.

    Quando abrimos um livro de história nos deparamos com tantas batalhas que quase podemos perceber suas páginas manchadas de sangue.

    São guerras entre nações, guerras religiosas, guerras civis, revoluções, que logo aprendemos a conjugar o verbo guerrear, sem nenhuma dificuldade.

    As escolas falam e enaltecem os guerreiros, mas poucas falam dos conquistadores da paz.

    Pouco se conhece sobre homens e mulheres que empreenderam esforços para conquistar a paz, sem guerras nem derramamento de sangue.

    Por que não se fala dos construtores da paz, como Jesus de Nazaré, Paulo de Tarso, Francisco de Assis, Ghandi, Martin Luther King Júnior, madre Tereza de Calcutá, Chico Xavier e tantos outros pacifistas que tivemos e que ainda temos no mundo?

    A conquista da paz só é possível com as ferramentas da paz, e não com as armas da guerra, que, em vez de pacificar os povos, disseminam mais ódios e ressentimentos.

    Os museus intitulados “da paz”, mostram os combates, armas de guerra, destruição, subjugação de povos por outros povos, e batalhas sangrentas.

    Esses são os museus da guerra e não da paz.

    Nossa cultura é uma cultura de guerra, pois existem os ministérios da guerra, mas nunca existiu o ministério da paz.

    É preciso mudar essa realidade. É preciso criar uma cultura de paz. É preciso incentivar o cultivo da paz nos lares, nas escolas e em todas as iniciativas sócio-econômicas, sócio-culturais, sócio-políticas e religiosas do planeta.

    É preciso ensinar crianças e adultos a conjugar o verbo pazear.

    Quando a paz, e não a guerra, for valorizada, teremos um mundo de paz, amor e união entre as criaturas.

    “A paz é luz – o amor é o combustível. Para que a paz se demore como realidade na lâmpada do coração é necessário que o fio do amor continue doando combustível para manter aceso o lume da alegria.”

    A paz do mundo começa em cada um de nós.

    Se tivermos amor, com certeza seremos bem mais felizes.

    Façamos a nossa parte e, com certeza, obteremos bons resultados.

* * *

    Você sabia que o Brasil vai ganhar o primeiro museu da paz?

    Numa parceria entre a ong internacional intitulada movpaz (*) e o governo do estado da Paraíba, será implantado o primeiro museu da paz (**) do mundo.

    A ong movpaz criou o projeto paz pela paz e não à violência, e tem efetuado ações práticas em favor da paz, ganhando adesão de autoridades, artistas e músicos, principalmente da região nordeste do país.

    Segundo matéria publicada pelo jornal O norte, o museu será interativo, dinâmico e versátil, destinado a pesquisadores, estudantes e visitantes, que encontrarão, no local, a memória dos mais importantes pacifistas do mundo, que trabalharam em prol da excelência humana, bem como documentos e informações históricas que contribuíram e vêm contribuindo para a implantação da paz no mundo.

    Sem dúvida, um pioneirismo digno de ser seguido pelos que desejam implantar a cultura da paz no seio da humanidade.

(*) http://www.movpaz.com.br/Antigo/principal/default.asp ((**) http://www.paraiba.pb.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=32723&Itemid=2

(Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em matéria publicada pelo jornal “O Norte”, em 24/08/2003 -
http://www.reflexao.com.br/mensagem_ler.php?idmensagem=491)



quinta-feira, 17 de março de 2011

Notícia: "O amor nem sempre é útil!"

Costuma fixar objectivos que dependem da motivação do seu companheiro? Muitas pessoas acreditam que é mais fácil estudar ou fazer exercício físico todos os dias com o apoio do cônjuge. Um estudo publicado no Psychological Science afirma o contrário. Pensar na ajuda que um companheiro pode dar para alcançar objectivos pode diminuir a motivação para trabalhar e até mesmo adiar o início do trabalho.... (....).  

Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=47495&op=all 

Comentário:

Com o objetivo de publicitar alguns estudos científicos, existe por vezes uma tendência para simplificar as conclusões alcançadas, resultando numa deturpação dos seus resultados. Na redação desta notícia existe uma confusão entre o conceito de amor e de dependência, como se fossem sinónimos ou se um atraísse inevitavelmente o outro. Na realidade, a ideia que para haver amor autêntico é necessário que haja dependência, é algo que ainda está profundamente encrostado no espírito das relações humanas e por vezes torna-se difícil vislumbrar um sem o outro. Será possível amar sem dependermos de quem amamos para vivermos felizes? Será possível amar sem apego? ... (...).

Gostou?

terça-feira, 8 de março de 2011

Notícia: " Ego nas alturas para os jovens americanos."

Universitários americanos colocam o aumento de sua autoestima acima de atividades agradáveis como fazer sexo, encontrar amigos e receber o salário. Isso pode ser preocupante... (...).

Comentário:

Todo o mal devira de um único mal: o egoísmo. Sem dúvida que todo o esforço para crescer, progredir e se desenvolver é essencial para o progresso do espírito, mais quando isto torna-se mais importante que o ser humano, mais importante que as relações sociais demonstra algo não está correto... (...).

Gostou? Veja o post completo...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Estudo dirigido: O Livro dos Espíritos XXVII

Após estudar os itens 702 a 727, responda as assertivas abaixo, justificando sua resposta:

1) Como podemos entender a falta dos meios de subsistência a certos indivíduos?

2) Um avião cai nos Andes. Para sobreviverem uns matam os outros e se alimentam de seus corpos. O que podemos dizer?

3) Por que razão os bens da terra são prazerosos?

4) Qual o limite entre o necessário e o supérfluo?

5) Em que condições a busca do bem estar seria condenável?

6) Em que situações as provações voluntárias são meritórias?

7) O que pensar da alimentação animal?
(Baseada na Apostila de estudos sobre as obras codificadas por Allan Kardec do IDE-JF)

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Estudo dirigido: O Livro dos Espíritos XXVI

Estude os itens 686 a 701 e enumere as colunas:

1) Superpopulação  na Terra
2) Aperfeiçoamento das raças animais e vegetais pela ciência
3) Obstáculos à reprodução
4) Casamento
5) Divórcio
6) Celibato voluntário
7) Deter a reprodução com vistas à satisfação da sensualidade
8) Poligamia

( ) É uma lei humana, que vai legalizar o que já havia anteriormente
( ) Não há mais do que sensualidade
( ) Deus a isso prevê, mantendo o equilíbrio
( ) É um dos primeiros atos de progresso nas sociedades humanas
( ) Tudo que entrava a marcha na Natureza é contrário à Lei Geral
( ) Só é válido se objetiva dedicar-se à humanidade
( ) Tudo se deve fazer para chegar à perfeição

(Baseada na Apostila de estudos sobre as obras codificadas por Allan Kardec do IDE-JF)